header top bar

section content

Sessão especial de filme com três cajazeirenses no elenco emociona moradores do Rio Grande do Norte

Filme de Kléber Mendonça Filho foi gravado em Parelhas e Acari, no RN, e ganhou o prêmio do júri no Festival de Cannes.

Por Luzia de Sousa

23/08/2019 às 13h55 • atualizado em 23/08/2019 às 14h07

Mais de 2 mil pessoas assistiram à sessão especial de Bacurau em Parelhas — Foto: Elisa Elsie/Assecom Governo do RN

A exibição do filme Bacurau em Parelhas – cidade onde foi gravado o longa – emocionou moradores e elenco. Um tela ao ar livre foi montada no campo de futebol da comunidade da Barra. Foram trazidos telão e projetor com qualidade de cinema. Mil cadeiras foram colocadas no local, mas o público foi bem maior.

VEJA MAIS: Com três cajazeirenses no elenco, filme brasileiro vence Prêmio do Júri no Festival de Cannes

Parelhas fica a 240 quilômetros de Natal. A cidade tem 25 mil habitantes. Mas as gravações e a exibição do filme aconteceu na comunidade da Barra – comunidade formada por menos de cem habitantes. Na noite de ontem, o local recebeu cerca de 2200 pessoas que foram prestigiar o filme. A sessão especial contou com a presença de Sônia Braga, dos diretores Kléber Mendonça e Juliano Dornelles, e parte do elenco.

O agricultor Antônio Félix participou das gravações e assistiu pela primeira vez um filme em tela de cinema. “Tô muito emocionado, muito feliz, nunca imaginei que ia viver isso”, disse.

O filme foi gravado em 2018 e contou com a participação de vários moradores da região como figurantes. “Todos fomos tratados com muito respeito. Foi uma experiência inesquecível e por isso estamos aqui hoje. Quero que todos assistam o filme e pensem um pouco sobre a gente estar fazendo cultura, o Brasil precisa de cultura e educação”, disse o diretor do longa, Kleber Mendonça.

A atriz Sônia Braga falou da emoção de estar de volta à comunidade onde o filme foi gravado. “É uma troca de amor, pra mim de verdade eu nunca saí daqui. Foi um sonho e hoje estamos tendo essa realização. Esse era um sentimento de todos nós da equipe”, disse.

Os diretores Kléber Mendonça e Juliano Dornelles, além de Sônia Braga e parte do elenco participaram da sessão especial de Bacurau em Parelhas — Foto: Elisa Elsie/Assecom Governo do RN

Em Bacurau, Sônia Braga interpreta a médica Domingas. Na trama, os moradores percebem que algo está errado com a comunidade, que não consta mais nos mapas. Mas o filme vai além, fala de resistência e exalta a força nordestina.

“Essa exibição foi um ato de sensibilidade de todos os envolvidos. Eles tomaram a decisão de querer que a comunidade da Barra, os mais de 400 figurantes que participaram e todos da região tenham a oportunidade de ver aqui ao vivo e a cores o resultado daquilo que eles acolheram e ajudaram a construir: um cinema que traz a beleza da arte da cultura, que dialoga com a realidade. É um orgulho ver esse voo sem fim que o filme Bacurau ergue. É muito orgulho de ver o audiovisual brasileiro. De nós da Paraíba, do Rio Grande do Norte, do Nordeste do Brasil. A estrela desta noite são vocês, povo de Barra”, destacou a governadora Fátima Bezerra durante a abertura da exibição que contou com apresentação de músicos da região. A estreia oficial no Brasil acontece dia 29 de agosto.

GRAVAÇÕES
Com cerca de quatro meses de gravação, a produção gerou mais de 800 empregos diretos e indiretos na região. “Foi uma oportunidade de todo mundo ganhar um dinheirinho extra”, disse Taíza Cardoso, figurante que mora em Parelhas. Ela contou que seus pais residem no povoado e ficaram muito entusiasmados durante a gravação. A casa deles foi cenário do filme e praticamente toda a família participou das filmagens. “Eles receberam um dinheiro para pagar a pintura da casa e alguns dos objetos deles foram alugados para a cenografia. Outras pessoas alugaram a casa por inteiro. Sem falar que era muito divertido”, pontuou ao afirmar que ficou muita história para contar. “Nas gravações teve um velório e uma das figurantes disse: estou morrendo com a quentura e essa véia não morre, ô véia dura para morrer. Foram uns dois dias para fazer a cena que velávamos uma senhora”, contou Vitória Cardoso em meio a risos.

O senhor Tadeu Cardoso, pai de Taíza e Vitória, disse que participou de 17 gravações. “Estou com 69 anos e sei que outro evento como esse vai ser difícil de eu ver por aqui. Por isso, aproveitei o máximo”, frisou. Ver seu rosto na telona trouxe muita alegria ao recém ator. “Foi um grande orgulho para mim, só tenho a agradecer. Vai ficar para sempre na minha memória uma cena que gravei com Sônia Braga e hoje recebê-la de novo, poder tirar foto, abraçar, foi como realizar um sonho”, considerou.

FILME
O filme brasileiro “Bacurau” ganhou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes em empate com o drama francês “Les Misérables”. É a primeira vez que o Brasil ganha na categoria, terceira mais importante da competição oficial do evento francês.

Bacurau se passa em um pequeno povoado do Sertão brasileiro (gravado nas cidades de Parelhas e Acari, no Rio Grande do Norte) e é estrelado por Sônia Braga e tem três cajazeirenses no elenco: Buda Lira, Thardelly Lima e Suzy Lopes.

SHOW DIÁRIO com G1
.

Recomendado para você pelo google

SAÚDE PÚBLICA

VÍDEO: Mensagem Empresarial recebe especialista em saúde pública e fala de práticas integrativas do SUS

DESCONTRAÇÃO

VÍDEO: Sucesso na internet, Gleyfy Brauly e MC Nem animam o programa Xeque Mate dessa semana

ENTREVISTA EXCLUSIVA

VÍDEO: Ricardo diz que sabia de ‘inimigos’ no governo, diz que PSB estava acomodado e alerta Azevêdo

CRIMINALIDADE

VÍDEO EXCLUSIVO: Homem é brutalmente assassinato em Cajazeiras; esposa conta detalhes do homicídio