header top bar

section content

Sexo oral é prática que não pode faltar em nenhum tipo de relação, aponta estudo

Além de a prática se mostrar expressivamente essencial em relacionamentos, 65% das mulheres e 68% dos homens dizem que terminariam um affair se o parceiro ou parceiro não fizesse o suficiente.

Por Priscila Belmont

10/09/2017 às 09h56

O sexo oral se mostra expressivamente essencial em relacionamentos.

De acordo com estudos, sexo é, sim, uma das coisas mais importantes em um relacionamento. Por funcionar como um “veículo” para que haja mais afeto e proximidade entre os parceiros, manter a vida sexual movimentada ao longo de um relacionamento de muitos anos é algo desejado pela maioria dos casais. Apesar de o conjunto todo ser importante, de acordo com uma pesquisa recente, há uma prática que, mais do que importante, é essencial: o sexo oral.

O estudo foi conduzido por especialistas do site “Victoria Milan” – rede social para quem busca relacionamentos extraconjugais –, que consultaram a opinião de mais de 9,1 mil mulheres e homens ativos na comunidade para saber o quão importante é o sexo oral tanto em relações fixas quanto em affairs. A resposta? Para 72% das mulheres e 85% dos homens, o ato é algo essencial que não deve deixar de acontecer com o passar dos anos.

65% das mulheres e 68% dos homens dizem que terminariam um affair se o parceiro ou parceiro não fizesse o suficiente.

De acordo com o estudo – e sem surpresas –, a maior parte tanto dos homens quanto das mulheres (94% deles e 89% delas) gosta de receber o oral. Outra descoberta da pesquisa é a de que, felizmente, a maioria das pessoas também está disposta a praticá-lo, já que 77% das mulheres e 72% dos homens afirmam gostar de fazer oral no parceiro ou na parceira.

Segundo o CEO da empresa, Sigurd Vedal, praticar oral é um ato que representa intensa intimidade, desejo e confiança. “Se seu parceiro sempre se deita e aproveita o ato, mas só retribui de vez em quando, você provavelmente pode dizer que ama essa pessoa mais do que ela te ama”, afirma na pesquisa. E alguns dados levantados pelo estudo dão base para a afirmação: segundo o estudo, 91% das mulheres e 87% dos homens se sentem mais impelidos a fazer oral no parceiro ou parceira quando estão apaixonados por essas pessoas.

Outro dado levantado pela pesquisa é animador para aqueles que mandam muito bem no oral, mas não são tão bons de cama em geral: 57% das mulheres e 66% dos homens consultados afirmam que continuariam na relação se estivessem recebendo um oral excepcional, mesmo que o restante das experiências não fossem tão boas assim.

E nos “affairs”?

De acordo com o estudo, o sexo oral não é algo essencial apenas em relacionamentos fixos e duradouros. Os dados levantados pela equipe mostram que a prática é tão necessária que 65% das mulheres e 68% dos homens terminariam com um amante caso não estivessem recebendo oral suficiente.

Delas – iG

AMIGO DE BRÁULIO BESSA

VÍDEO: Poeta que esteve no Encontro com Fátima Bernardes foi o convidado do Xeque-Mate da semana; VEJA!

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Pentecostal de Jerusalém

DIÁRIO ESPORTIVO

DIÁRIO ESPORTIVO: Tudo que rolou no Campeonato Brasileiro e os preparativos para o Paraibano

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria Calado na Tv recebe Everly Paloma e Forró Bom de Mexer de Ipaumirim- CE